sexta-feira, 31 de outubro de 2008

PELO PRAZER DE DIRIGIR (1)

O Carro é realmente a grande invenção da humanidade...
Não tem ônibus espacial, nem penicilina ou processo de reciclagem que me convença do contrário! O homem primitivo já sabia das coisas. Com a criação da roda (e a descoberta do fogo, é claro.) a vida nos primordios começou a ganhar sentido e praticidade - daí o termo: "Uma mão na roda!"...
Mas a roda por si só não serve de nada, foram necessários os eixos e uma plataforma independente em cima desses eixos para começarmos a contemplar de fato o que viria a ser nossa maior e mais significativa invenção.
Contudo, faltava algo! Ninguém gosta de (ou quer) ficar empurrando seu carro para cima e para baixo ad infinitum. Os Flintstones que se danem! Era preciso aplicar força àquele objeto tão refinado, era preciso certa autonomia ao novo brinquedo do homem.
Alguns povos já cavalgavam e esse foi o último e decisivo passo para a efetivação do carro: Cavalos de Potência!!!
[continua...]

6 comentários:

Zeca Viana disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anônimo disse...

De minha parte, fico bastante satisfeita em perceber em ti uma grande e pulsante verve filosófica... kkkkk Ao me convidar a ler teus escritos, pensei (a priori) que iria encontrar um grande arsenal de análises sócio-políticas-culturais-antroplógicas-caralhais... mas não se trata disto. O horizonte é muito maior, sem dúvida... Tudo pode ser "literalizado"... ylaousia@hotmail.com

HVB disse...

sim, obrigado, mas quem és?

Anônimo disse...

Tchesco! Ratt

André Raboni disse...

"[continua...]"

Demorô pra postar em mô fîo! Tah doente, excesso de vida, sem saco ou escrevendo um grande romance Bukowski-nietzscheano?

Aew!

HVB disse...

tenho demorado em tudo na vida!
mas todos meus conhecidos têm sido rápidos em tudo:
para gozar;
para ganhar dinheiro;
para dirigir um veículo;
para digerir uma pizza;
para reproduzir uma criança...
enfim...